unnamed 4 897x494 - Anote as dicas para montar uma Varanda Gourmet

As varandas são responsáveis por imprimir um ar de liberdade aos dias corridos das pessoas. Grandes ou pequenas, elas são verdadeiros coringas dentro dos apartamentos. Mas já pensou em unir um espaço agradável a boa gastronomia e diversão? Cada dia cresce mais a inserção das famosas varandas gourmets, por isso separamos algumas dicas da arquiteta Karina Korn para você que está pensando em montar um espaço como esse na sua casa.

Pegue um bloquinho e anote as dicas!

Estilo da varanda:

varandas gourmets foto divulgação
As varandas são responsáveis por imprimir um ar de liberdade aos dias corridos das pessoas (Foto: divulgação).

“É importante que a decoração da varanda gourmet converse com o restante da casa. Isso pode ser feito de diversas formas, a mais comum sendo o uso da paleta de cores análogas”. Outra dica que Karina destaca está relacionada à integração visual com a nivelação do piso. “Uso o mesmo piso no living e varanda e também considero o uso portas de vidro”, conta. Assim, os ambientes se conectam quando necessário, mantendo sua independência estrutural.

Churrasqueira:

varandas gourmets ( Foto: divulgação).
As varandas se tornaram um espaço agradável que alia boa gastronomia e diversão (Foto: divulgação).

“Cada tipo de varanda gourmet tem um modelo de churrasqueira mais apropriado para o seu espaço e configuração. O modelo com carvão costuma ser o preferido de quem gosta de uma boa carne e oferece uma boa durabilidade. Apesar disso, requer uma série de soluções para escoamento da fumaça intensa que produz, como dutos e circulação de ar. Já a churrasqueira elétrica, tipo grill, é mais moderninha, além de compacta e portátil. Precisa apenas do ponto de alimentação de energia elétrica e de uma bancada para habitar”.

Bancadas:

varandas gourmets foto divulgação
Grandes ou pequenas, as varandas se transformaram em verdadeiros coringas dentro dos apartamentos (Foto: divulgação).

“Não existem elementos obrigatórios na varanda gourmet. O definidor é sempre a prioridade do morador, queira ele um espaço para churrasco, para tomar cafés, ou apenas para confraternização. Apesar disso, a bancada é sim um requisito para o ambiente ideal. Nas varandas pequenas, ela substitui a mesa de refeições, reunindo quem cozinha e os convidados acomodados em suas charmosas banquetas. De acordo com a metragem, ela pode vir acompanhada ou não de cooktop e pia. Quando há mais espaço, a bancada convive bem com mesas nas mais diversas configurações, assumindo o papel de espaço para finalização de preparos e estação de equipamentos, com bar de café ou frigobar, por exemplo”.

Dica extra:

“Tijolinhos trazem a sensação de aconchego e, junto de plantas, por exemplo, aproximam esse espaço da decoração de um ambiente externo. Jardins verticais aliam a otimização da varanda à beleza dos elementos naturais, enriquecendo o ambiente. A madeira é outra aliada e está presente em móveis como a mesa de jantar ou de apoio. O material ainda pode aparecer nos revestimentos, por meio do uso de porcelanatos que imitam seus tons e texturas, com a vantagem da resistência aos respingos de água e gordura que podem acontecer durante o preparo de alimentos”.

 

SIM HOME OFFICE A ESCOLHA DA COR 897x494 - Confira as dicas de como renovar o home office

Uma realidade que vem crescendo no país é o número de pessoas que trabalham em casa. E para deixar a nova forma de trabalho confortável para o trabalhador, separamos dicas que vão ajudar você a reformar o seu espaço. Anote aí!

 

Escolha o lugar

Africa Studio / Shutterstock.com
Escolha um local tranquilo da casa para trabalhar (Foto: Africa Studio / Shutterstock.com).

Na hora de escolher o espaço que você irá passar horas trabalhando, pense em um local onde o risco de ser interrompido será menor. Afinal, manter o foco é primordial.

Cuidado com a luz

Artazum / Shutterstock.com
A iluminação merece atenção (Foto: Artazum / Shutterstock.com).

Iluminação é primordial. Se no ambiente existe janelas, já é uma boa forma de evitar o consumo de energia em excesso e aproveitar a luz natural. Opte por uma iluminação direta e funcional.

A escolha da cor

BONNINSTUDIO / Shutterstock.com
Faça uso de cores no seu ambiente de home office(Foto: BONNINSTUDIO / Shutterstock.com).

A cor irá variar de acordo com a sua preferência. Tons como azul e verde, ajudam na concentração, já o amarelo e laranja estimulam a criatividade. Nesse segundo ponto, você pode investir nessas cores através de objetos decorativos.

Mude a posição da mesa

sirtravelalot / Shutterstock.com
Busque o lugar  ideal para a sua mesa de trabalho (Foto: sirtravelalot / Shutterstock.com).

Repensar a posição dos móveis é uma tarefa importante. Na hora de procurar o local ideal para a mesa de trabalho, a dica é buscar uma posição onde a luz natural consiga iluminar sem que atrapalhe o usuário com excesso de luz durante o dia.

Aposte em nichos

gpointstudio / Shutterstock.com
O uso de nichos é uma boa opção no home office (Foto: gpointstudio / Shutterstock.com).

Itens como caixas organizadoras e cestos ajudam na hora de encontrar fácil algum documento ou item de trabalho. Os nichos também se encaixam bem na hora que você for decorar o espaço.

Ergonomia nas cadeiras

LStockStudio / Shutterstock.com
Escolha a cadeira que se encaixe no contorno da sua lombar.(Foto: LStockStudio / Shutterstock.com).

A cadeira precisa ser confortável e deixar a sua coluna ereta. Modelos com regulagem são uma boa opção para ajustar o tamanho conforme a estatura de cada pessoa. De preferência, escolha um modelo estofado e que se encaixe no contorno da sua lombar.

 

Ambiente leve

Photographee.eu / Shutterstock.com
Opte por elementos decorativos, como pequenos objetos multifuncionais e plantas (Foto: Photographee.eu / Shutterstock.com).

Um home office deve ser agradável, aconchegante e com a personalidade do usuário. Opte por elementos decorativos, como pequenos objetos multifuncionais e plantas.

 

 

*Procure um arquiteto e desenvolva o melhor projeto para você.

CASA DE CAMPO por ANA CRISTINA CUNHA FOTO ROGÉRIO MARANHÃO 1 897x494 - Arquitetura sustentável: novas práticas de sucesso

Arquitetura tem muito a ver com o espaço e a vida das pessoas. E traz reflexos da (e na) comunidade. A sentença da arquiteta Fernanda Durães traduz a preocupação com o conforto e a sustentabilidade nos projetos que assina. E esses cuidados com o meio ambiente e os reflexos que uma interferência possa deixar para as futuras gerações são cada vez mais presentes na arquitetura. E se destacam na pauta da arquitetura sustentável.

arquitetura sustentável
Telhado eco produtivo na Comunidade dos Pequenos Profetas (Foto: Divulgação)

Fernanda é a autora do projeto que implantou o telhado eco produtivo na ONG Comunidade dos Pequenos Profetas, no bairro de São José, no Recife. São 19 canteiros, numa área de 400 m ², com vista privilegiada para o Cais José Estelita e o rio Capibaribe.

Para vencer os obstáculos de lidar com uma edificação antiga e driblar a inclinação do telhado, Fernanda usou madeira certificada de forma escalonada. “Fizemos toda a parte da estrutura em patamares de escada e em cada patamar fizemos canteiros. Aproveitamos também para fazermos uma coberta. Na parte superior da cumeeira trabalhamos uma área plana também na madeira. Houve ainda a preocupação do aproveitamento da energia solar. Então colocamos painéis de captação, já que o Recife é uma cidade de muita incidência de luz forte”, explica.

pequenos profetas
Projeto da arquiteta Fernanda Durães (Foto: Divulgação)

É também da arquiteta o projeto da Ecogreen, também voltada à sustentabilidade no Recife. Ao mudar-se para uma nova casa, a empresa buscou aliar ainda mais os conceitos trabalhados junto aos clientes para ir de encontro à sua filosofia. O local, então, foi repaginado com base na arquitetura sustentável.

projeto
Empresa teve sede repaginada com sustentabilidade (Foto: Divulgação)

“Tudo tem o toque sustentável e do bem estar. Na planta exploramos o conceito de todos estarem vendo todos. Colocamos como acústica, na sala de reuniões, um musgo vegetal que passou por um processo de estabilização, substituindo a selva por glicerina e corantes alimentícios naturais. Eles não precisam de luz, nem água, nem fertilizante, nem terra. Suportam variação de temperatura e são hipoalergênicos”, detalha.

projeto sustentável
Móveis foram produzidos em madeira pallets (Foto: Divulgação)

Na ambientação, foram usados móveis projetados em madeira de pallets (reciclados, reaproveitados), com o selo GBC. “Trabalhamos também com OSB – que é um painel de madeira de reflorestamento (como um compensado), resistente, estável, com isolamento térmico-acústico, dá textura ao ambiente e é resistente ao fogo”, conta Fernanda.

 

Sustentabilidade no campo

Em  Gravatá, agreste de Pernambuco, a arquiteta Ana Cristina Cunha uniu charme e responsabilidade com o meio ambiente na casa de campo de uma família apaixonada pela natureza e aberta às visitas dos amigos. A proposta era ampliar a casa valorizando o verde em volta, então ela apostou na preservação das árvores e na construção de um telhado em madeira de reflorestamento para permitir a comunhão com a paisagem da serra e a luminosidade natural.

ana cristina cunha
Casa reflete estilo dos proprietários em Gravatá (Foto: Rogério Maranhão)

Para atender a uma família que adora receber e queria ampliar a casa valorizando a natureza, a arquiteta Ana Cristina Cunha apostou na preservação das árvores e na construção de um telhado em madeira de reflorestamento para permitir a comunhão com a paisagem da serra e a luminosidade natural.

projeto em gravatá
Iluminação e ventilação ajudam a poupar energia (Foto: Rogério Maranhão)

O altíssimo pé direito onde a madeira é a estrela valoriza ainda mais a sala de jantar e o living principal onde peças de artesãos pernambucanos entram em diálogo com obras de arte e mobiliário com design assinado.

Gravatá
Projeto de Ana Cristina Cunha (Foto: Rogério Maranhão)

Na área externa, foi construída uma piscina de borda infinita com deck, uma área gourmet onde fica a adega e ainda um solarium que preserva duas árvores, trazendo aconchego e interação total com a natureza. “Nós projetamos exatamente dessa forma para que a árvore continuasse a fazer parte da casa. Apesar das temperaturas amenas de região, o clima também é árido e as árvores quebram essa aridez”, explica Ana Cunha.

 

Escolhas técnicas

Para a arquiteta potiguar Viviane Teles, criar, planejar, projetar com responsabilidade ambiental e consciência cidadã recai sobre escolhas técnicas pautadas no conhecimento daquilo que se pode conseguir usando as oportunidades e as condições ambientais e naturais disponíveis, em cada lugar, em cada situação. É simples? “Se não fosse os antigos não teriam sobrevivido tão bem, nem deixado um legado grande e rico desse conhecimento”, diz. Ela também se dedica a projetos que têm a pegada da arquitetura sustentável.

arquiteta potiguar
Viviane Teles buscou responsabilidade ambiental no projeto do restaurante Camarões (Foto: Divulgação)

Começando por alvenarias, ela destaca as boas possibilidades trazidas pela argila, pedra, areia. “As consequências do uso de cada um são refletidas, diretamente, no condicionamento térmico e acústico adequado de cada edificação. Usar um processo natural e simples como o superadobe, pode ser a solução para climas aonde o isolamento acústico seja necessário”, esclarece.

projeto em Natal
Alvenaria gerando proteção contra ruídos (Foto: Divulgação)

Assim foi no seu projeto do restaurante Camarões, em Natal (RN). Lá, onde a base foi a arquitetura sustentável, a alvenaria gerou proteção contra o ruído externo e, para o interno, a arquiteta utilizou uma espuma acústica feita a partir de algodão natural, vaporizado diretamente na laje.

“Há uma quantidade gigante de possibilidades, que a natureza oferece. Só precisamos estudar e testar. Ainda no Camarões, o piso (hoje substituído) foi feito de argila com um material agregante, pela própria mão de obra”, lembra.