Valencia Espanha - Arquitetura e Urbanismo: detalhes da profissão do arquiteto e urbanista

Arquitetura e Urbanismo: detalhes da profissão do arquiteto e urbanista

No Brasil, quem quer ser arquiteto precisa se formar em Arquitetura e Urbanismo e providenciar o registro profissional no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU). 

O Arquiteto e professor Alexandre Mesquita ressalta que o curso de Arquitetura e Urbanismo, que é um dos mais concorridos do país, que forma profissionais capazes de planejar e organizar ambientes internos, externos, edificações e outras estruturas urbanas. 

Trata-se de um universo amplo e cheio de oportunidades de atuação, mas que também desperta muitas dúvidas e curiosidades. Quer saber mais?

Neste conteúdo, vamos explicar tudo sobre essa profissão. Acompanhe!

O que é Arquitetura e Urbanismo?

Para ser um arquiteto, e exercer a profissão legalmente, é necessário concluir o curso de Arquitetura e Urbanismo. O curso engloba diversas disciplinas (teóricas e práticas), que permitem que o estudante se torne apto a atuar em vários campos de atuação, incluindo o Urbanismo. 

Dessa forma, um Arquiteto Urbanista pode ser envolver com projetos de espaços internos e também com intervenções urbanas — mas sempre respeitando todos os regulamentos legais e normas técnicas. 

Uma dúvida comum entre quem faz ou pretende fazer arquitetura é: afinal, o curso é considerado de ciências humanas ou exatas? Apesar de não ser uma unanimidade, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) considera o curso de Arquitetura uma graduação das ciências sociais aplicadas. 

Isso significa que o curso é multidisciplinar (possui disciplinas exatas e humanas na sua grade curricular), mas tem um enfoque na sociedade e nas relações humanas. Essa também é a categoria de outros cursos conhecidos, como Jornalismo, Direito e Economia. 

Além de fazer um curso superior reconhecido pelo MEC, também é necessário solicitar o registro profissional no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU). Só após o processo é possível atuar legalmente como arquiteto no Brasil.

Qual é a importância da Arquitetura na sociedade?

A Arquitetura permeia o ser humano em todas as etapas da vida — basta olhar ao redor para perceber como ela está presente no nosso dia a dia. As casas, hospitais, escolas, bares, restaurantes, todos os espaços são projetados por arquitetos. 

A principal função da arquitetura é transformar e projetar ambientes com o objetivo de  melhorar a qualidade de vida das pessoas que frequentam o espaço e manipulando o meio ambiente com responsabilidade. 

Os projetos arquitetônicos são fundamentais para que os ambientes sejam adequados para as atividades humanas. Os tamanhos, cores, iluminações, acessos, tudo o que compõe cenários que acompanham os seres humanos durante toda a vida são produzidos por um profissional de arquitetura. 

Além da segurança e funcionalidades desses espaços, é inegável que eles exercem uma influência direta nas emoções e bem-estar das pessoas. Outro fator que demonstra a importância dessa profissão é a possibilidade de construção de uma sociedade mais integrada e igualitária. 

Afinal de contas, uma das funções do arquiteto é planejar cenários urbanos para que a sociedade consiga desenvolver as suas atividades, bem como crescer de  forma organizada e segura — respeitando os seus limites ambientais e estruturais. 

A arquitetura também tem um papel fundamental na construção de espaços mais sustentáveis, que equilibram onde a qualidade de vida humana e o meio ambiente. Pensar em soluções para que isso aconteça é um dos desafios da arquitetura e urbanismo. 

O que faz uma pessoa formada em Arquitetura e Urbanismo?

Como você já sabe, quem faz a faculdade de Arquitetura está habilitado para projetar e edificar ambientes para garantir a segurança, saúde e bem-estar das pessoas. 

O trabalho precisa ser realizado considerando as seguintes questões:

  • funcionalidade;
  • estética;
  • ventilação;
  • iluminação;
  • regulamentos legais;
  • normas técnicas;
  • orçamento.

A profissão é extremamente ampla e possibilita que o profissional possa escolher diferentes campos de atuação. Quer entender o faz um arquiteto? Confira algumas das áreas que podem ser escolhidas por ele! 

Arquitetura de interiores

O arquiteto urbanista pode optar por trabalhar com arquitetura de interiores. Nesse caso, o profissional seria o responsável por projetar, planejar e acompanhar a reforma de ambientes internos. 

O trabalho  inclui a escolha de materiais, cores e a disposição de móveis nesses espaços. É importante não confundir arquitetura de interiores, com designer de interiores. Apesar das semelhanças, são áreas diferentes. A principal diferença é que o designer não pode alterar a estrutura física do ambiente.

Comunicação visual

Muita gente não sabe, mas o arquiteto também pode ser responsável pelo desenvolvimento da identidade visual corporativa de instituições. O trabalho pode envolver a elaboração de logomarcas, cartões, itens de papelaria, entre outros. 

 A comunicação visual também pode ser empregada no setor urbano, como na elaboração de placas de sinalização e identificação. Outras alternativas para arquitetos que desejam trabalhar com comunicação visual são o desenho industrial, a cenografia e o cinema.   

Paisagismo

A Arquitetura Paisagista é uma área que se dedica na criação de projetos em espaços abertos, como jardins e praças. O profissional utiliza diversas ferramentas e elementos, como piscinas, escadas, muros, iluminação, para criar a interação desejada das pessoas com o ambiente que está sendo trabalhado. 

Uma das principais preocupações desse âmbito de atuação é a união estética da paisagem com a arquitetura. Além disso, conhecimentos sobre o clima, topografia e geologia são fundamentais para um bom trabalho de paisagismo. 

Restauração de edifícios

Edificações antigas e deterioradas podem ser restauradas por arquitetos urbanistas. O objetivo do trabalho é manter as características do projeto original. O serviço é comumente solicitado pelo poder público para a conservação de edifícios antigos, mas que fazem parte da história e cultura do local.     

Luminotécnica

Luminotécnica, também conhecida como luminotecnia, é uma área de conhecimento voltada para o estudo de projetos de iluminação artificial. O arquiteto que trabalha nesse campo pode planejar a iluminação de ambientes fechados, abertos, eventos. 

Para isso, o profissional precisa ter um conhecimento aprofundado sobre lâmpadas, luminárias e a importância do uso correto da luz nos espaços. 

Urbanismo

O arquiteto também pode planejar uma cidade. Brasília, a capital do Brasil, é um excelente exemplo de planejamento urbano. A função do arquiteto urbanista é fazer com que a cidade cresça de forma sustentável e organizada, preservando a qualidade de vida dos moradores e a proteção do meio ambiente. 

É do profissional dessa área a responsabilidade da criação do Plano Diretor da cidade. Trata-se de uma série de regras que estabelecem o que pode ou não ser feito em relação à arquitetura da cidade. Como não poderia ser diferente, o plano também precisa ser aprovado pelo poder público. 

A arquitetura e o urbanismo estão extremamente ligados. Não é por acaso que o curso tem o nome das duas áreas de conhecimento. 

Pesquisas científicas 

A arquitetura é uma área de conhecimento e vários pesquisadores se dedicam para compreender a história da arquitetura, o seu impacto no presente e o que o futuro pode oferecer para a sociedade.

Existem vários aspectos científicos, tecnológicos, sociais e culturais que podem ser pesquisados por arquitetos. Essa alternativa também pode ser o início de uma carreira acadêmica, como professor universitário. 

Tecnologia da construção

O arquiteto que trabalha com tecnologia da construção é responsável por analisar quais são os melhores materiais e técnicas para o desenvolvimento do projeto. A intenção é otimizar o tempo da obra, reduzir os gastos, mas sempre preservando a segurança e a qualidade do trabalho.

Administração de obra

Assim como o engenheiro civil, um arquiteto pode acompanhar e dirigir obras de qualquer natureza. Inclusive, existem casos em que os clientes exigem que quem planejou a obra seja o responsável por acompanhar a sua evolução. 

Arquitetura verde

A preocupação e o cuidado efetivo com o meio ambiente fazem parte do dia a dia de arquitetos e acompanha uma demanda da sociedade em geral. As pessoas estão mais preocupadas com o impacto humano na natureza e, como não poderia ser diferente, isso também influencia os projetos arquitetônicos.

Nesse sentido, surge uma nova área de atuação, que é arquitetura verde — que visa o desenvolvimento de projetos mais sustentáveis. O trabalho envolve ferramentas para a redução de lixo nas obras, o destino correto dos resíduos, melhor aproveitamento da luz natural, redução do consumo de energia elétrica, entre outras medidas.  

Desenho mobiliário 

Projetar móveis e objetos também uma função que pode ser exercida por arquitetos. A área de atuação é uma boa pedida para os profissionais que possuem interesse em design e no trabalho criativo.

Arquiteto corporativo 

Os empresários já sabem que o ambiente em que os colaboradores trabalham influenciam diretamente a produtividade deles e, consequentemente, os resultados da empresa. Diante disso, o arquiteto corporativo surge para otimizar os espaços empresariais para melhorar o bem-estar dos funcionários. 

Além disso, o projeto observa as peculiaridades de cada empresa e faz com que os ambientes ganham mais personalidade. Outro ponto positivo do trabalho do arquiteto corporativo é a economia, que pode ser conquistada, por exemplo, com o melhor aproveitamento da luz natural ou com o uso de mobiliário inteligente.

Arquitetura promocional

Os espaços comerciais, como stands de venda, eventos, feiras, também podem ser planejados por um profissional de arquitetura. O Brasil é um país que recebe inúmeros eventos comerciais e isso faz com que essa área de atuação, apesar de nova, seja promissora. 

Os ambientes de negócios precisam ser muito bem pensados para transmitir a mensagem certa para o público-alvo. Para se destacar dos concorrentes, criar um espaço diferenciado pode ser fundamental para criar uma experiência única do cliente com a marca. 

 Quanto ganha um arquiteto?

bitcoin coin - Arquitetura e Urbanismo: detalhes da profissão do arquiteto e urbanista

Como tudo que envolve a profissão, o salário de um arquiteto urbanista também é diverso. A remuneração varia de acordo com a especialização escolhida, a jornada e até mesmo a região em que o profissional atua. 

Segundo o site Catho, a média nacional do salário de um arquiteto, com contração regida pela CLT, é de R$ 4.017,69. Fazer uma pós-graduação na área, e saber falar inglês também são diferenciais que podem impactar no valor do salário. 

Em que locais um arquiteto urbanista pode trabalhar? 

O arquiteto urbanista pode trabalhar em empresas privadas, públicas, ser profissional liberal e ser contratado para prestar serviços pontuais para essas instituições. 

Existe ainda a possibilidade de atuar em instituições de ensino ou abrir uma empresa própria para atuar na área escolhida. 

É importante lembrar que seja qual for o local de trabalho, é obrigatório que o profissional seja registrado no CAU BR. 

Qual é o tempo de duração do curso de Arquitetura e Urbanismo?

De acordo com o MEC (Ministério da Educação), o curso de Arquitetura e Urbanismo possui duração de 5 anos, ou seja, 10 períodos. Geralmente, o primeiro semestre é dedicado a disciplinas teóricas e as matérias mais práticas são iniciadas no segundo semestre em diante.  

Qual é a grade curricular do curso de Arquitetura e Urbanismo? 

biblioteca de faculdade - Arquitetura e Urbanismo: detalhes da profissão do arquiteto e urbanista

Felizmente, a maioria das faculdades brasileiras oferecem cursos de Arquitetura e Urbanismo. A grade curricular do curso varia de acordo com a instituição de ensino escolhida. 

Para que você tenha uma ideia, veja as disciplinas oferecidas no curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, que é considerado um dos melhores do país: 

1º período 

  • História e Teorias da Arquitetura I
  • História da Urbanização e do Urbanismo I
  • Fundamentos de Projeto
  • Construção do Edifício 1
  • Conforto Ambiental 1 – Fundamentos
  • Geometria Aplicada à Produção Arquitetônica
  • Geometria Descritiva

2º período 

  • Fundamentos Sociais da Arquitetura e Urbanismo I
  • Planejamento Urbano: Introdução
  • Linguagem Visual Gráfica
  • Arquitetura da Paisagem
  • Construção do Edifício 2
  • Desenho Arquitetônico
  • Estatística Aplicada
  • Topografia

3º período 

  • História e Teorias da Arquitetura II
  • História da Arte I
  • Fundamentos Sociais da Arquitetura e Urbanismo II
  • Arquitetura: Projeto 1
  • Planejamento Urbano: Estruturas
  • Computação Gráfica
  • Cálculo
  • Instalações e Equipamentos Hidráulicos I

4º período

  • História e Teorias da Arquitetura III
  • História da Urbanização e do Urbanismo II
  • Arquitetura: Projeto 2
  • Linguagem Visual Ambiental
  • Design do Objeto
  • Conforto Ambiental 2 – Iluminação

5º período 

  • Estágio Obrigatório Supervisionado
  • História da Urbanização e do Urbanismo III
  • Técnicas Retrospectivas. Estudo e Preservação dos Bens Culturais.
  • Arquitetura: Projeto 3
  • Arquitetura e Indústria
  • Planejamento da Paisagem
  • Construção do Edifício 3
  • Estruturas na Arquitetura I: Fundamentos

6º período 

  • História e Teorias da Arquitetura IV
  • História da Arte II
  • Organização Urbana e Planejamento
  • Projeto Visual Gráfico
  • Construção do Edifício 4
  • Infra-estrutura Urbana e Meio Ambiente
  • Conforto Ambiental 3 – Termoacústica
  • Estruturas na Arquitetura I I: Sistemas Reticulados

7º período 

  • Subsídios Investigativos e Projetuais para a Preservação do Patrimônio Edificado
  • Estágio Supervisionado: Transição
  • Conservação e Restauração do Patrimônio Arquitetônico
  • Intervenção na Cidade Existente: Percursos No Desenho Urbano
  • Arte Italiana do Renascimento e do Barroco
  • Arquitetura Projeto/OPTATIVA IV
  • Linguagem do Desenho
  • Linguagens Fotográficas
  • População de Rua: Design, Cidade e Contemporaneidade
  • Arquitetura em Rede
  • Tópicos de Design para Ambientes Digitais: Informação, Interface, Interação, Ação e Colaboração
  • A Função Poética da Linguagem da Arquitetura e do Design e a Cultura Brasileira
  • Experimentação como Procedimento de Projeto: Materialidades e Espacialidades
  • Edifício Ambiental: Arquitetura e Desempenho Térmico de Edificações
  • Gestão Estratégica e Pensamento Projetual

8º período

  • Atividades Complementares: Transição
  • Arquitetura Moderna e Contemporânea no Brasil
  • O Brasil “condenado ao moderno”: arquitetura e arte dos anos 1920 até os dias de hoje
  • Arquitetura Projeto/OPTATIVA I
  • Projeto do Edifício e Dimensão Urbana I
  • Projetos Normativos I
  • A Estrutura no Projeto do Edifício
  • Reciclagem e Reforma de Edificação
  • Arquitetura Projeto / Optativa III
  • Ateliê Livre
  • Projeto e Contexto
  • Projeto: Arquitetura e Cinema
  • Moradia e Cidade: Ensaios de Habitação Social na Área Central de São Paulo
  • Desenho Gráfico Experimental
  • Linguagem e Expressão
  • Linguagens Gráficas
  • Identidade Visual Gráfica
  • Linguagens dos Sistemas de Comunicação Visual Aplicados à Arquitetura
  • Linguagem dos Recursos de Reprodução Gráfica
  • Cidade em Movimento – Linguagens Associadas ao Vídeo, Computador e Internet na Comunicação Visual do Edifício e da Cidade
  • Modernidade Líquida: Estratégias em Design Visual
  • Poéticas da Deriva Urbana
  • Design Arquitetônico: Uma Experiência Projetual
  • Produção e Consumo do Objeto Industrial
  • Projeto de Sistemas de Objeto para o Edifício e o Ambiente
  • Design: Da Revolução Industrial Mecânica à Eletroeletrônica
  • Desenho de Equipamentos em Áreas de Intervenção Urbana
  • Modelos Físicos para Desenho Industrial
  • Gestão Ambiental Urbana
  • Novas Formas de Gestão Metropolitana
  • Informática e Planejamento Urbano
  • Ambiente Construído e Desenvolvimento Sustentável
  • Áreas Comerciais: Planejamento e Intervenção
  • Urbanismo e a Cidade Contemporânea
  • Políticas de habitação social
  • Elementos de Planejamento de Transportes
  • Planejamento e Organização Urbana e Regional
  • Metodologia na Elaboraçao de Planos Diretores Municipais
  • Estruturação do Espaço Urbano: Produção Imobiliária Contemporânea
  • Renovação Urbana
  • Planejamento de Bairros
  • Os Saberes sobre a Cidade
  • Desenho Urbano: da Teoria ao Projeto
  • Instrumentos de Intervenção Urbanística em Assentamentos Precários: Plano, Programa e Projeto.
  • Planejamento Contra-Hegemônico: Teorias e Práticas
  • Cidade, Gênero e Interseccionalidades: Conceitos, Políticas e Práticas
  • Cidade e Raça
  • Projeto de Plantio
  • Projeto de Praça Urbana
  • Arte e Projeto da Paisagem
  • Projeto de Infraestrutura Verde
  • Técnicas Alternativas na Construção
  • Terminais Aeroportuários de Passageiros: Aspectos Programáticos
  • Avaliação Pós-ocupação (apo) Como Metodologia de Projeto
  • Conforto Ambiental – Desempenho de Componentes Construtivos
  • Requisito fraco
  • O Projeto da Iluminação no Exercício da Arquitetura
  • Ergonomia Aplicada ao Projeto e Dimensionamento dos Espaços da Habitação.
  • Ergonomia Aplicada ao Planejamento e Projeto do Mobiliário Urbano.
  • Arquitetura, Ambiente e Desenvolvimento Sustentável
  • Adequação dos Projetos de Edificações a Leis e Normas Sobre Acústica
  • Desenho de Observação
  • O Espaço e Suas Representações
  • Representações do Espaço Arquitetônico: Práticas e Procedimentos Contemporâneos I
  • Percepção e Organização Espacial Bi e Tridimensional
  • Acessibilidade e Segurança de Edificações
  • O Mercado Imobiliário e a Intervenção Pública
  • Cascos e Cascas – Representação de Projeto para Embarcações e Abrigos

9º período 

  • Arquitetura Projeto/OPTATIVA II
  • Desenho de Elementos Construtivos – Tradição Construtivos Brasileira
  • Construção de Modelos Analógicos
  • Design para a Sustentabilidade
  • Instrumentos de Planejamento
  • Habitação de Interesse Social
  • Projeto de Paisagem Urbana
  • Projeto de Sistema de Espaços Livres
  • Projeto de Parque Urbano
  • Gestão da Paisagem e do Ambiente
  • Conforto Ambiental em Espaços Urbanos Abertos
  • Técnicas para Planejamento Urbano e Regional
  • Metodologia do Processo Participativo de Planejamento
  • Elementos Complementares ao Projeto Gráfico do Edifício
  • Tecnologia da Cor

Quais são as principais habilidades de um arquiteto urbanista?

Como você já deve ter notado, a faculdade de Arquitetura envolve questões artísticas, sociais, técnicas e operacionais. É interessante que o profissional tenha a capacidade de ser tão multidisciplinar quanto a área de atuação. 

Veja quais são as habilidades desejáveis para um arquiteto:

  • facilidade com a matemática
  • interesse por cultura, história e arte;
  • cuidados com os detalhes;
  • facilidade para desenhar e utilizar softwares de desenho;
  • criatividade;
  • saber ouvir;
  • boa visão espacial. 

Vale destacar que não ter uma ou várias dessas habilidades não significa necessariamente que você precisa desistir da carreira de arquiteto. Ao longo do curso é possível aperfeiçoar diversas características e definir uma área de atuação que seja compatível com o seu perfil profissional. 

É muito comum, por exemplo, que os estudantes entrem no curso sem saber desenhar e isso não é um grande problema. Felizmente, durante o curso, existem disciplinas voltadas para o ensino da técnica de desenhos. 

Como está o mercado de trabalho para quem é Arquiteto Urbanista?

Como está o mercado de trabalho para arquitetos? Essa é uma preocupação legítima de quem tem interesse em ingressar na área. Os efeitos causados pela pandemia do Covid-19 está afetando o mundo inteiro e todos os profissionais vão precisar se reinventar.

Existem inúmeras oportunidades para profissionais capacitados e que apresentam um perfil diversificado. Dessa forma, mesmo em um momento de crise, não faltam possibilidades de atuação para um arquiteto urbanista. 

O aumento no número de pessoas que trabalham em casa também abre espaço para  a atuação de um arquiteto. Afinal, será preciso repensar ambientes para que os moradores consigam trabalhar com conforto. 

A sustentabilidade também é uma área que merece atenção dos estudantes de arquitetura. Planejar espaços que conseguem unir qualidade de vida e respeito ao meio ambiente é uma demanda que está em constante alta. 

A tecnologia é uma ferramenta vital para o dia a dia dos arquitetos e a tendência é que ela esteja ainda mais presente na rotina de todo o mundo. Soluções tecnológicas para residências, por exemplo, são cada vez mais comuns e o arquiteto deve estar atento a isso para não perder oportunidades de trabalho. 

Em resumo, o mercado de trabalho vai continuar com boas oportunidades para profissionais criativos, que tenham bom domínio da tecnologia, sensibilidade e capacidade de adequação. 

Esperamos que este conteúdo completo tenha ajudado você a entender mais sobre o universo da Arquitetura e Urbanismo. Como vimos, essa profissão é extremamente rica de oportunidades e desafios, além de ser fundamental para o desenvolvimento da sociedade. 

Se você é arquiteto, estudante de arquitetura, ou apenas tem interesse nessa área, continue acompanhando o nosso blog para ficar bem atualizado sobre o assunto! 


A imagem de destaque deste post é a Cidade das Artes e das Ciências é um complexo arquitetónico, cultural e de entretenimento existente na cidade de Valência, em Espanha. Desenhado por Santiago Calatrava e Félix Candela, o projeto começou a ser executado em Julho de 1996 e inaugurado em 16 de Abril de 1998. O último componente da Cidade, El Palau de les Artes Reina Sofía, foi inaugurado a 9 de Outubro de 2005. Wikipedia

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.