Dia da Consciência Negra: Santos Negros em cartaz no Maspe

DIÓ DINIZ E PADRE RINALDO FOTO FELIPE BEZERRA REVISTA SIM - Dia da Consciência Negra: Santos Negros em cartaz no Maspe

O Museu de Arte Sacra de Pernambuco abre as portas, nesta terça-feira (20), às 19h30, à exposição Santos Negros. A data foi escolhida pela forte representatividade, quando se celebra o Dia da Consciência Negra, e segue até o dia 13 de maio de 2019, quando a abolição da escravatura completa 131 anos no Brasil.  À frente do projeto estão o gestor da casa, Padre Rinaldo Pereira dos Santos, o historiador Iron Mendes e a arquiteta Dió Diniz. O padre fez uma verdadeira peregrinação por igrejas para resgatar as 20 peças que compõem o acervo da mostra. Para isto, contou com o apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe). O projeto da exposição com acervo voltado exclusivamente aos santos negros é inédito em Pernambuco. A ideia vem inquietando o gestor do Maspe há alguns anos.

DIÓ DINIZ E PADRE RINALDO FOTO FELIPE BEZERRA REVISTA SIM - Dia da Consciência Negra: Santos Negros em cartaz no Maspe
A arquiteta Dió Diniz e o Padre Rinaldo Pereira são os curadores da mostra (Foto: Felipe Bezerra/Revista SIM!)

O padre acredita que a santidade está em todas as cores e todas as raças e que há um clamor em relação ao descaso com o povo negro. “Dos jovens assassinados, quase 70% são negros. Nos presídios também, a maioria da população carcerária é negra. E outro ponto muito forte é a intolerância religiosa. O desrespeito às religiões de matriz africana. Hoje os terreiros de candomblé clamam ao Iphan para serem tombados, para que possam ser protegidos. Essa animosidade tem sido desenvolvida por muitos movimentos religiosos radicais, que se utilizam de alguns símbolos e alguns ritos (que são sagrados para aquelas pessoas), demonizam isso, ganham dinheiro em cima disso e instigam a destruição. Nossa exposição terá um papel social, cultural e religioso importantíssimo no nosso Estado”, pontua.

Fazem parte do acervo, imagens de Santo Elesbão (que foi um rei negro da Etiópia), São Benedito (Santo mouro e padroeiro dos alimentos), São Filipe (Santo Etíope), São Baltazar (Rei Mago), São Moisés Anacoreta e Santo Antônio de Categeró (Antônio de Cartago, escravo que dedicou-se a cuidar dos doentes). Também estarão expostas quatro telas do artista plástico Roberto Ploeg.

SANTO ELESBÃO FOTO DRAILTON GOMES - Dia da Consciência Negra: Santos Negros em cartaz no Maspe
Santo Elesbão (Foto: Drailton Gomes)

No evento de hoje haverá um resgate da primeira Missa dos Quilombos, que aconteceu em 1981, no Pátio do Carmo, e foi celebrada pelo então arcebispo de Olinda e Recife, Dom Hélder Câmara. Algum tempo depois a celebração foi proibida, ficando restrita a apresentações em teatros. Na noite desta terça-feira um áudio trará a Prece de Mariama, feita na primeira missa, narrada por Dom Hélder. Também farão parte do evento o atual arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, integrantes do Sítio de Pai Adão (reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil) e grupos de maracatu. O local escolhido foi o cruzeiro, na Praça da Sé. Para o Padre Rinaldo, esse diálogo inter-religioso é muito importante e precisa ser promovido.

SÃO BENEDITO DO SÉC 19 FOTO FELIPE BEZERRA REVISTA SIM - Dia da Consciência Negra: Santos Negros em cartaz no Maspe
São Benedito (Foto: Felipe Bezerra/Revista SIM!)

“Os santos representam um laço afetivo com Deus e Deus não tem raça, não tem cor. Há imagens, inclusive, de Jesus Cristo negro, devido a essa questão da representatividade. E existiram vários santos negros. Entre eles, São Benedito, Baltasar (um dos Reis Magos) e Santo Antônio de Cartagerona. Ao longo da história, a representação dos santos negros não recebeu a devida importância, por todo um processo triste de discriminação e preconceito. Essa exposição vai fazer com que a população os descubra”, diz o historiador do Maspe, Iron Mendes.

A arquiteta Dió Diniz conta que as peças estavam em igrejas em ruínas e no Iphan. “É uma exposição para tocar a religiosidade das pessoas e levantar questionamentos. A mostra é a que mais reúne santos negros no Brasil. Estamos propondo um clima de mistério, de respeito à espiritualidade. O espaço arquitetônico é belíssimo e a intervenção é muito sutil. Trabalhamos com uma iluminação muito pontual, ressaltando esse clima místico. Que as pessoas olhem com ar de oração, de agradecimento”, diz.

REI MAGO BALTAZAR FOTO DRAILTON GOMES - Dia da Consciência Negra: Santos Negros em cartaz no Maspe
São Baltasar, Rei Mago (Foto: Drailton Gomes)

O Padre Rinaldo destaca que um museu de arte sacra será sempre um espaço de resistência àqueles que querem negar a sacralidade da vida, do cotidiano e da história. E diz que é impossível contar a história do Brasil e de Pernambuco, sem a influência da arte sacra. Além de também ressaltar que uma exposição que traz santos negros em destaque tira o manto da invisibilidade que cobre os santos, combatendo o preconceito e a intolerância. “A laicidade do Estado é extremamente positiva. É importante esse respeito. Mas o Estado não é ateu. Laicidade e laicismo são diferentes. Laicismo é a negação de qualquer traço de religiosidade de um povo. Quem quer dizer que o Estado é ateu está enganado. O texto da Constituição começa invocando o nome de Deus. A bandeira de Pernambuco traz o desenho de uma cruz. O museu é um resgate dessa memória. Se o povo perde o seu referencial, perde a sua identidade”, conclui.

SÃO BENEDITO E OUTROS FRADES FOTO DRAILTON GOMES - Dia da Consciência Negra: Santos Negros em cartaz no Maspe
Na tela, São Benedito e outros frades (Foto: Drailton Gomes)

 

Consciência negra

O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado, no Brasil, em 20 de novembro. Foi criado em 2003 e oficialmente instituído pela Lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011, sendo feriado em cerca de mil cidades em todo o país e nos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso e Rio de Janeiro através de decretos estaduais. A data lembra a inserção do negro na sociedade brasileira e foi escolhida por coincidir com o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695.

 

Museu de Arta Sacra de Pernambuco – Maspe

Rua Bispo Coutinho – Carmo, Olinda – PE

Exposição Santos Negros

De 20 de novembro de 2018 a 13 de maio de 2019

De terça à sexta, das 10h às 17h

Ingresso: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia

One comment

  • Fui a exposição e fiquei maravilhado com as peças expostas!! Parabéns a toda equipe que participou desta amostra e muito Obgdo por nos dar essa oportunidade de conhecer mais da iconografia sacra.

Join the discussion

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *