Sem título - Projeto cenográfico Carnaval do Recife 2016
Foto: Divulgação

Projeto cenográfico Carnaval do Recife 2016

O projeto cenográfico do Carnaval do Recife 2016, assinado por Carlos Augusto Lira Arquitetos, tem como conceito principal um retorno às raízes da África, tanto culturais, religiosas e históricas. A natureza africana e suas tribos ganham relevo na cenografia e vão contagiar os foliões. Os homenageados Maracatu Nação Porto Rico, Maestro Forró e Clube Carnavalesco Misto Pão Duro também são enaltecidos na decoração da festa.

Com base em uma vasta pesquisa sobre a África, a criação da linguagem cenográfica ficou mais uma vez a cargo dos designers ilustradores Bel Andrade Lima e David Alfonso, coordenados pelo arquiteto Eduardo Lira, que reinventaram a decoração da festa em vários aspectos. De forma inédita, eles investiram em técnicas que remetem a pinceladas, deixando os desenhos mais orgânicos e menos digitais; e também abriram mão dos contornos das peças, trabalhando de forma inovadora com efeitos de luz e de textura. As cores verde e vermelho, bastante presentes no Maracatu Nação Porto Rico e no Clube Carnavalesco Misto Pão Duro, estão em evidência na decoração, assim como a diversidade musical do Maestro Forró.

“O nosso ponto de partida foi criar uma linguagem cênica que ficasse com uma cara nova e diferente. Além disso, houve a necessidade de enxugamento no número de peças devido à redução de custos. Foi um desafio de nos reinventarmos, então o Carnaval do Recife 2016 está com as suas imagens totalmente diferentes dos anos anteriores. Fizemos uma mudança gráfica bastante forte, demos uma nova leitura às figuras dos homenageados com os bustos que nascem do asfalto, por exemplo, e valorizamos o berço da cultura africana”, explica Carlos Augusto Lira. A iluminação também será um grande destaque da cenografia.

A Ponte Buarque de Macedo será tomada por figuras de tribos africanas, entre mulheres e homens negros com vestimentas, adereços e penteados característicos, além de peças de animais silvestres que remetem à savana africana como onças e zebras. No local, o universo marítimo também vai se materializar através de elementos cenográficos como peixes, cavalo-marinho e água viva, com destaque para a peça da caravela, que é o símbolo do Maracatu Nação Porto Rico.

Na Avenida Rio Branco, os foliões vão encontrar a Alameda dos Homenageados. Elementos alegóricos com nove metros de altura darão as boas vindas para quem vai curtir a festa. Neste ano, essas peças chamarão ainda mais atenção, porque serão posicionadas em formato de bustos ao invés de figuras de corpo inteiro, o que causará um efeito grandioso. Em primeiro plano, estará a rainha do Maracatu Nação Porto Rico com sua espada, sendo ladeada por ondas do mar, como se ela também houvesse passado pelo universo marítimo da Ponte Buarque de Macedo. Haverá também bustos do Maestro Forró portando o seu trompete e do presidente do Clube Carnavalesco Misto Pão Duro, José Levino Xavier.

Ainda na Alameda dos Homenageados, serão instalados parklets, assim como no ano passado. As estruturas, conhecidas como plataformas de convivência, servirão de apoio à área de alimentação e bebidas e receberão peças cenográficas horizontais de figuras femininas nos mais variados tons de pele, entrelaçadas com instrumentos musicais e animais silvestres, inserindo a natureza africana no contexto da Avenida Rio Branco.

Além disso, uma grande orquestra comandada pelo Maestro Forró tomará conta da via a partir de figuras verticais com elementos cenográficos que remetem às influências musicais de todo o mundo presentes na carreira do homenageado, destacando o seu trabalho à frente da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério e toda a diversidade de sua música.

Na Ponte Maurício de Nassau, figuras marítimas como sereias e tritões vão fazer os foliões mergulharem no mar. Um clima místico, com referências à religiosidade da África como as oferendas do candomblé, também tomará conta do local. As peças terão ligação de cordões de luz entre elas, causando grande efeito ao anoitecer.

Uma verdadeira mata será ambientada na Rua Bom Jesus, com elementos cenográficos como árvores e folhagens, além de animais como girafas, elefantes e leões. “A partir dessa ideia de ambientar uma floresta com muito verde, resolvemos conjugar as árvores da cenografia com as árvores existentes na rua, além dos animais, que estão deslumbrantes. Essa foi uma mudança radical na decoração”, completou Carlos Augusto Lira. Além disso, serão posicionadas duas figuras humanas representando Orixás na via.

Um totem inspirado nas esculturas da África estará suspenso no eixo da fonte da Praça do Arsenal da Marinha transmitindo uma sensação tridimensional para os foliões. Já no Marco Zero, figuras de todos os personagens do Carnaval do Recife 2015 serão projetadas no palco, servindo de moldura para a programação artística e musical.

GALO DA MADRUGADA – O Galo do Madrugada entrará no clima da cenografia do Carnaval do Recife 2016. Ele estará vestindo as cores em destaque na decoração da festa e usará um óculos escuro em alusão ao Maestro Forró.

BAILE – A cenografia do 52º Baile Municipal do Recife, que acontece no dia 30 de janeiro, no Classic Hall, seguirá o conceito do projeto criado para o Carnaval do Recife 2016 com destaque para os homenageados.

CENOGRAFIA
Carlos Augusto Lira
Bel Andrade Lima
David Alfonso
Eduardo Lira

ILUSTRAÇÕES
Bel Andrade Lima
David Alfonso

COORDENAÇÃO
Eduardo Lira

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
29b903e4 a3e6 455b b4cf 33c611eb298b 1 390x390 - Projeto cenográfico Carnaval do Recife 2016
Live reunirá a revistaSIM e a designer Roberta Banqueri