IMG 1108 1346x494 - Decoração de quartos de criança em alta na CASACOR PE e PB

Um dos temas sempre presentes em todas as mostras da CASACOR é a decoração de espaços infantis. Este ano, o evento na Paraíba apresenta o Quarto dos Gêmeos e na mostra em Pernambuco, as meninas ganham espaço na Suíte das Bebês Gêmeas. Confira abaixo os detalhes de cada projeto.

Quarto dos Gêmeos

Fotos Vilmar Costa casacor pb
O ambiente foi todo construído através das referências montessorianas onde a criança tem total autonomia sobre o espaço (Foto: Vilmar Costa).

As arquitetas Manu Vasconcelos e Gabriela Cruz são as responsáveis pelo projeto do Quarto dos Gêmeos na CASACOR Paraíba. O ambiente foi todo construído através das referências montessorianas onde a criança tem total autonomia sobre o espaço. O objetivo é que o quarto os receba após a fase do uso do berço e os acompanhe durante as próximas etapas da infância.Utilizando uma abordagem lúdica, todo o mobiliário foi criado pelas profissionais.

Fotos Vilmar Costa casacor pb
O projeto possui uma base de cores claras e neutras (Foto: Vilmar Costa).

“A cama tatame é baixinha para facilitar a autonomia das crianças. As caixas suspensas para brinquedos e o desenho criado para o guarda-roupas gera o efeito de movimento. O guarda roupa também teve a base tradicional substituída por nichos para abrigar os sapatinhos e as caixas organizadoras, já as portas com aberturas zigue-zague receberam espelhos em formato de casinha na altura da criança. Tudo de forma lúdica , funcional e acessível”, conta Manu Vasconcelos. Ainda no quarto, as arquitetas criaram no cantinho de brincar, um quebra-cabeças gigante para montar e desmontar feito com peças estofadas que viram tatame. O projeto possui uma base de cores claras e neutras. O toque de cor foi acrescentado pelo mix de tons quentes, como o telha e laranja, em contraste com os tons de verde, azul acinzentado e cinza.

Fotos Vilmar Costa casacor pb
As arquitetas criaram no cantinho de brincar, um quebra-cabeças gigante para montar e desmontar feito com peças estofadas que viram tatame ( Foto: Vilmar Costa).

Sobre  qual o destaque do projeto, a arquiteta Manu revela, “A árvore que nasce no cantinho da leitura, onde abriga livros nos galhos mais baixos e no teto seus galhos abraçam um céu estrelado de fibra óptica”. Na iluminação, as profissionais construíram um ambiente para ser estimulante e lúdico nos momentos de brincadeira ou leitura, assim com relaxante no momento de descanso.

Suíte das Bebês Gêmeas

foto rogério maranhão casacor pe
Charme e muita elegância na Suíte das Bebês Gêmeas ( Foto: Rogério Maranhão).

No ambiente, a arquiteta Juliana da Mata utilizou um mix de elementos contemporâneos que se aliam a sensação de aconchego “previsto” nos quartos para bebês. O espaço que abriga os berços de vime funciona com um “segundo útero”. É ao entrar nesse local da mostra que o visitante terá o sentido do olfato despertado. Por lá um cheiro suave relativo a uma fragrância nos faz lembrar a infância.

Foto: Rogério Maranhão casacor pe
Nesse local da mostra que o visitante terá o sentido do olfato despertado, um cheiro suave relativo a uma fragrância nos faz lembrar a infância ( Foto: Rogério Maranhão).

Com um traçado limpo e minimalista, o móvel do quarto se une a bancada e sua extensão invade a área do banheiro integrando os ambientes. Chama a atenção, a árvore com aplicação de argila que funciona como divisor do box.

Foto: Rogério Maranhão casacor pe
A arquiteta utilizou um mix de elementos contemporâneos que se aliam a sensação de aconchego (Foto: Rogério Maranhão).

No projeto, destaque para a a regionalidade que vem na utilização de elementos como a madeira e palha, e também no vime que está presente nos berços. No papel de parede, brilha a renascença da estilista Martha Medeiros. A arquiteta optou pelo uso de tons terrosos que lembram as cores do outono, como o bege. A iluminação é acolhedora e intimista, abraçando os berços.

 

 

09 ESTAR INTIMO ALBUQUERQUE E MALVIM .jpg2  1346x494 - A tecnologia a serviço da arquitetura na CASACOR Pernambuco

A cada ano os arquitetos fazem da tecnologia um aliado na hora de projetar e mostrar esse ambiente finalizado aos clientes. E a CASACOR é uma oportunidade perfeita para isso. São cortinas feitas com tecnologia de placas solares, ambientes totalmente independentes onde apenas com um controle de voz é possível dominar todo o funcionamento de um espaço. São desdobramentos da vida moderna que fazem da tecnologia um plus na hora de projetar .

21 - CASA DE VIDRO - DIOGO VIANA_ fOTO: Felipe Araújo
A tecnologia explode em automação na Casa de Vidro ( Foto: Felipe Araújo).

Um desses exemplos é a Casa de Vidro, projetada pelo arquiteto Diogo Viana. São 40m² onde as fachadas, paredes e cobertas são de vidro. O material é do fabricante Vivix. Por lá a tecnologia explode em automação, com experiências sensoriais de cor, som e cheiro. No banheiro, que também é de vidro, o arquiteto apostou na tecnologia Smartglass que permite ao usuário optar por um vidro opaco ou transparente na hora de usar.

arena arbor foto divulgação casacorpe2018
O arquiteto Paulo Carvalho apostou no design paramétrico para projetar a estrutura metálica ( Foto: divulgação).

É também no quintal do casarão da Família Santos, em Casa Forte, no Recife que se localiza a Arena Arbor, uma estrutura tridimensional em formato geodésico, que busca o aproveitamento da luz e ventilação natural (utilizando as cortinas da Arbor),  percorrendo o caminho da arquitetura sustentável. O projeto arquitetônico é de Paulo Carvalho, do escritório Selvagem. O ambiente foi inspirado em uma árvore. Por lá tudo é automatizado na iluminação. O profissional também apostou no design paramétrico para projetar a estrutura metálica e pórticos que são feitos em aço corten recortados a laser pela Steel Decor.“É um espaço muito democrático com pensamento coletivo. Procuramos trazer o melhor do mundo e compartilhar. A partir do foco nas experiências que os usuários terão neste local, remetemos ao aspecto lúdico que as árvores trazem na memória das pessoas como palco de brincadeiras, momentos de descanso e a sensação de conforto que proporciona”, explica Paulo. O ambiente vai sediar eventos para o público adulto e infantil durante a mostra.

off black casacorpe2018 foto felipe araújo
Os arquitetos apostaram em um robô para receber os comandos e realizar diversas funções no espaço ( Foto: Felipe Araújo).

Luiz Dubeux e João Vasconcelos levaram muita tecnologia ao seu espaço, a sala Off Black. Por lá um robô chamado Alessia recebe comandos de voz para abrir janelas, alterar a luz e o sistema de som do ambiente. O equipamento foi importado da Alemanha pela Arbor. A tecnologia foi aplicada para colaborar com a visão da sala para a área externa do casarão através de um paredão de vidro de 10 metros que reveste as duas paredes do piso ao teto no ambiente.

casacorpe2018 estar íntimo foto felipe araújo
A tecnologia no Estar Íntino está presente na cortina da Arbor ( Foto: Felipe Araújo).

No Estar Íntino assinado pelos arquitetos Alysson Albuquerque e Rodrigo Malvim, a tecnologia está presente na cortina da Arbor que é motorizada á bateria e pode ser recarregada com energia solar através de placas fotovoltaicas. No quesito iluminação logo no final da tarde o teto do espaço é presenteado com uma sutil iluminação dimerizável com fita de led que revela todos os detalhes dos adornos originais.

SALA DE IMAGEM E SOM - KATIA CARAPEBA, SONIA BELTRAO, GABRIEL BELTRAO foto felipe araújo casacorpe2018
Muita tecnologia na Sala de Imagem e Som ( Foto: Felipe Araújo).

Na Sala de Imagem e Som dos arquitetos Katia Carapeba, Sonia Beltrão e Gabriel Beltrão, muita tecnologia envolvida. Com a proposta de ser uma área para receber a família, os profissionais apostaram em local confortável e moderno.Um exemplo disso são as cortinas  termoacústicas que são automatizadas.  No espaço,  a iluminação e o ar-condicionado foram automatizados pela empresa Zafiro. Chama a atenção também a tela gigante( 5,90 x 1,85m de altura) que fica 50cm acima do piso, criando a ideia para o visitante de que ele está inserido na projeção. Nesta tecnologia utilizada de 4k, dois projetores com placas de inteligência unem as duas imagens.

 

Serviço:

CASACOR PE
Av. 17 de Agosto, 1112, Casa Forte. Recife/PE.

2 Loft Cinquentinha 1346x494 - CASACOR Ceará celebra duas décadas de mostra

O imóvel icônico projetado pelo arquiteto Acácio Gil Borsoi, que reúne uma residência e um prédio comercial, na Rua Visconde de Mauá, em Fortaleza é o palco da CASACOR Ceará que irá reunir até o dia 23 de outubro, o melhor da arquitetura, decoração, design e paisagismo local.

Loft Cinquentinha-Anik Mourão Foto: Esdras Guimarães
O Loft Cinquentinha da arquiteta Anik Mourão traz como inspiração a mulher de 30 anos independente financeira e emocionalmente. O espaço traz memórias afetivas que vão além do material e dos objetos de valor (Foto:Esdras Guimarães).

No jardim, destaque para o projeto original do consagrado paisagista Roberto Burle Marx. Uma curiosidade sobre o local, o imóvel já sediou a CASACOR em 2009. O projeto da residência conta com pilotis, estrutura independente, laje de concreto, cobertas no estilo asa de borboleta, janelas corridas, fachadas com planos inclinados e espaço contínuo.

Valdo Figueiredo Estúdio da Fashion Influencer Foto: Esdras Guimarães
No Studio da Fashion Influencer criado por Valdo Figueiredo predomina o estilo industrial chique, onde o concreto aparente, a madeira e a tubulação elétrica à mostra contrastam com móveis elaborados e tecidos finos (Foto: Esdras Guimarães ).

Este ano, 54 ambientes irão ocupar o espaço durante a mostra. O foco do evento está na valorização da cultura, da arte cearense, do morar, das experiências, em relacionar o ambiente, a natureza e as pessoas. No total, 73 profissionais estão envolvidos na criação dos ambientes.

Sala do empresário- André Scarlazzari, Dito Machado e Marcus Braga. Foto: Esdras Guimarães
A trajetória de vida do empresário Roberto Macêdo foi a principal fonte de inspiração para a criação do espaço projetado por André Scarlazzari, Dito Machado, Marcus Braga (Foto: Esdras Guimarães ).

 

Serviço:

CASACOR Ceará

Período: até 23 de outubro.
Local: Rua Visconde de Mauá, 950- Fortaleza/Ceará.
Terça a Sábado – das 17h às 22h. Domingo e Feriados – das 16h às 21h.
Ingresso: R$ 48,00 / meia R$ 24,00
Passaporte: R$ 120,00 (entrada com valor único para todos os dias do evento)
Vendas: Bilheteria da CasaCor Ceará e no site: www.ingressorapido.com.br

7 LIVING – Kramer Arquitetura Obras 360º crédito Jomar Bragança 1346x494 - 27ª CASACOR Brasília acontece em construção de Oscar Niemeyer

Até o dia 30 de outubro, o público de Brasília poderá conferir de perto os 39 ambientes da 27ª edição da CASACOR. O local escolhido para sediar a mostra, a Casa da Manchete, é uma construção com projeto de Oscar Niemeyer no Setor de Indústria Gráficas (SIG).

35 - LOUNGE BAR FINITURA – Ney Lima - crédito Jomar Bragança
Destaque para o espaço Lounge Bar Finitura de Ney Lima ( Foto: Jomar Bragança).

O conceito apresenta projetos dedicados ao bem estar, tendo também a natureza como norte das composições. Por lá, espaços inovadores e inspiradores com as novidades em mobiliário, objetos, revestimentos, cores e texturas.

9 - AMAZÔNIA VIVÁ – SÓ REPAROS – MAAI – Arquitetos Associados - crédito Jomar Bragança (3)
Espaço Amazônia Vivá – Só reparos da Maai Arquitetos Associados (Foto: Jomar Bragança ).

São tendências do segmento de arquitetura, decoração, design e paisagismo, servindo ainda como importante plataforma para lançamento de produtos.

7 - LIVING – Kramer Arquitetura - Obras 360º - crédito Jomar Bragança
O Living da Kramer Arquitetura- Obras 360º (Foto: Jomar Bragança).

A utilização de materiais naturais como couro, metal, madeira, pedra e palha estão entre as tendências apresentadas, assim como o concreto, elemento tão característico do trabalho de Oscar Niemeyer, está presente em diversos ambientes desta CASACOR. Neste ano a tecnologia não estará restrita apenas a inovações dos espaços, tais como iluminação, automação, dentre outras invenções futurísticas.

6 - #REFÚGIO VEREDAS_CINEX – Stúdio Denise Zuba - crédito Jomar Bragança (4)
Refúgio Veredas-Cinex do Stúdio Denise Zuba (Foto: Jomar Bragança).

 

Serviço:

CASACOR Brasília

Período: até 30 de outubro.

Horário: de terça a sexta, das 15h às 22h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 22h.

Endereço: Casa da Manchete (Setor de Indústrias Gráficas, SIG, Quadra 1, Número 175- Brasília).

Ingressos: R$ 50,00 (inteira), R$ 25,00 (meia para estudante e pessoas com 60 anos ou mais). Crianças menores de 12 anos não pagam. À venda na bilheteria e no site Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br).

Passaporte único: R$ 150,00.

04 1080x494 - Os desafios na hora de projetar um ambiente náutico

Dizem que para navegar é preciso ter uma boa embarcação e contar com a generosidade do vento e do mar. Mas você já pensou em como se constrói um barco? E na decoração feita especialmente para uma embarcação? O que utilizar? São muitos os detalhes que fazem da arquitetura e decoração náutica ou naval, um setor tão rico em opções.

 arquitetura e decoração náutica
As cores predominantes utilizadas nos projetos náuticos costumam ser os tons mais neutros (Foto: divulgação).

Projetar uma residência ou um barco envolve muita disciplina e conhecimento sobre o assunto. Em relação aos barcos de luxo, as variáveis relacionadas a modelos, cores e formas são muitas, como explica o arquiteto George Casé. “Diferente de uma residência, o barco é um objeto dinâmico (projetado para estar em movimento) e que precisa ser eficiente em seu desempenho, conforto e segurança. Quando estamos projetando um barco precisamos pensar de que forma o nosso desenho irá transmitir as sensações que a marca quer comunicar ao lançar um novo modelo ou uma releitura de um modelo já consagrado”.

 arquitetura e decoração náutica
Projetar uma residência ou um barco envolve muita disciplina e conhecimento sobre o assunto (Foto: divulgação).

Para o arquiteto é impossível pensar em um projeto como esse sem levar em consideração a forma como o barco será construído, a função dos componentes e a relação entre cada uma de suas partes, ” Independente se estamos projetando para o estaleiro ou para o cliente final é fundamental ter a consciência de que estamos tratando com um objeto de desejo que traduz em sua maioria luxo e poder. As embarcações de luxo quase nunca são pensadas como um meio de transporte, pois elas transcendem sua função primária. Nossa expertise em ambientação residencial em muito contribuiu para a evolução do setor náutico, pois conseguimos levar para as embarcações os lançamentos de materiais, os conceitos de cores e padrões de acabamento tão difundidos no universo da moda residencial”.

 arquitetura e decoração náutica
A decoração feita para uma embarcação deve ser pensada com muita atenção (Foto: divulgação).

As cores predominantes utilizadas nos projetos náuticos costumam ser os tons mais neutros.” Quando projetamos para os estaleiros as tonalidades geralmente estão ligadas a emoção que a embarcação pretende despertar no consumidor e vai variar de acordo com o modelo projetado e público alvo. Quando estamos projetando para o cliente final, este geralmente busca nas cores uma relação com o universo residencial. Acreditamos que por ser esse barco uma casa na água”, argumenta Casé.

 arquitetura e decoração náutica
São muitos os fatores levados em consideração na hora de projetar um barco (Foto: divulgação).

No quesito iluminação utilizada nas embarcações, tudo é pensado para formar cenários. “Seja a luz do dia-a-dia à bordo, a luz para receber, ou para relaxar, de um modo geral a iluminação tanto externa como interna além de cumprir sua função técnica também se preocupa com a estética da embarcação e seus ambientes”, explica o profissional. Nos projetos do escritório Duarte Casé Arquitetura, apresentados ao longo da matéria, toda a iluminação foi feita em LED.

 arquitetura e decoração náutica
No quesito iluminação utilizada nas embarcações, tudo é pensado para formar cenários (Foto: divulgação).

São muitos os fatores levados em consideração na hora de projetar um barco. Peso, resistência, eficiência, segurança e durabilidade são alguns desses itens, que podem contribuir para o funcionamento positivo ou negativo da embarcação. “Entendemos isso como sendo apenas um ponto de partida, algo que já está tão interiorizado no nosso trabalho, em função da nossa experiência. O que de fato mais nos desafia são os limites inconscientes do desejo que queremos transpor de forma consciente com nosso desenho. Queremos que o olhar dos nossos clientes não seja captado pela forma ergonômica com que cada uma das peças e componentes foram pensadas. Queremos que a eficiência do nosso desenho seja capaz de fazer com que eles nem percebam que estão num barco e sintam-se no conforto de suas casas”, revela o arquiteto.

 

Serviço:

DUARTE CASÉ Arquitetura
Telefone (81) 3466-0017
Instagram: @duarte_case

varanda geral fundo 1346x494 - Casa dos anos 70 passa por reforma

Uma casa dos anos 70 com 178m², foi reformulada pela arquiteta Paola Cimarelli Landgraf. A profissional transformou um antigo terraço em uma varanda climatizada com fechamento em vidro, tirando partido da copa das árvores. Os ambientes reformados foram a cozinha, o lounge e a sala de jantar. O espaço que anteriormente era sala de jantar se tornou a cozinha. Já a antiga cozinha se transformou em área de serviço.

Créditos: Fernando Crescenti
O projeto proporcionou aos moradores um novo espaço de integração (Foto: Fernando Crescenti).

“Os clientes tinham necessidade de mais espaço para a família, então mudamos todos os revestimentos e o layout para melhor atender. O novo projeto proporcionou aos moradores um novo espaço de integração com maior aproveitamento do espaço. Antes da reforma a cozinha era menor. Hoje, enquanto a mãe faz o jantar, consegue auxiliar os filhos no dever de casa, graças a bancada de vidro com a mesma altura da mesa”, conta Paola. Na cozinha ela utilizou o piso vintage da Villagres e optou pela madeira nos armários para trazer aconchego ao local.

Créditos: Fernando Crescenti
A arquiteta transformou um antigo terraço em uma varanda climatizada com fechamento em vidro ( Foto: Fernando Crescenti).

A nova varanda permite que a família possa fazer atividades em conjunto ou separados. No projeto, a iluminação foi desenvolvida também pelo escritório de arquitetura. “ Procuramos inserir luzes de trabalho na cozinha para oferecer destaque aos revestimentos e iluminação geral. Na varanda temos várias opções de cenários, como o pendente da mesa, que foi utilizado para trazer sensação de aconchego na hora do jantar. O espaço conta também com abajures”.

Créditos: Fernando Crescenti
A disposição, revestimentos e cores do banheiro também foram alteradas ( Foto: Fernando Crescenti).

Nas cores utilizadas no projeto, o piso em tons cinza e verde remetem a natureza. As paredes off white contrastam com as portas em branco. Já o teto em madeira traz aconchego para a varanda envidraçada. A arquiteta também mudou a disposição e revestimentos do banheiro, deixando o local com mais cor.

Créditos: Fernando Crescenti
O pendente da mesa, foi utilizado para trazer sensação de aconchego na hora do jantar (Foto: Fernando Crescenti).

Quando questionada sobre o que pensa  do trabalho concluído, a arquiteta responde, “Eu sou apaixonada pelo projeto. Ele está no caminho entre a casa dos meus pais e meu escritório. Sempre ao passar pela casa admiro a varanda e fico feliz por ter contribuído de alguma forma na qualidade de vida da família”.

 

Serviço:

 Paola Cimarelli Landgraf

www.maispaola.com.br

Artesão Nena Foto Danyelle Marques Produção O Imaginário Ambiente Restaurante Nez Bistrô 1346x494 - O artesanato presente em todos os lugares

A força do artesanato local se renova e se dissemina através de suas renovadas peças em restaurantes e ambientes decorados. É quando o novo se mistura com o antigo e leva até o público a identidade e a força local dos artesãos, que através de suas artes, contam também a história da cultura resistente de Pernambuco.

Foto: Ademar FIlho
A arte feita no Centro de Artesanato, no Cabo de Santo Agostinho vem ganhando cada vez mais espaço (Foto: Ademar Filho).

Cada vez mais é possível encontrar esse artesanato nos restaurantes. Mas hoje, eles não ficam mais responsáveis apenas por decorar esses locais. O artesanato é encontrado nas mesas. São utilitários exclusivos e cheios de particularidades. Desenvolvidos e pensados de forma única para atender a demanda e característica de cada empreendimento. É o caso dos restaurantes Cá Já e Nez Bistrô e do Tokyo’s Café, que fazem uso dessas peças exclusivas criadas pelos artesãos do Centro de Artesanato do Cabo.

Na arquitetura, é louvável o pensamento de arquitetos que levam essa arte para dentro das casas dos seus clientes. Um trabalho de formiguinha, que começou lá trás com Janete Costa, a pioneira em disseminar a ideia de que não existe diferença de status entre o que é tratado como arte erudita e artesanato. Todos possuem seu valor e beleza. Beleza essa que era o principal conceito que Janete pregava, o que era bonito aos olhos e que encantava. O arquiteto Carlos Augusto Lira  que trabalhou diretamente com Janete, é hoje um dos principais defensores da inclusão do artesanato em projetos de arquitetura.

Foto: Ademar Filho
O artesanato se faz presente na arquitetura e na decoração (Foto: Ademar Filho).

” Eu gosto muito do trabalho deles. Irei levar muitas de suas peças para o meu espaço na CasaCor deste ano. Este trabalho com os artesão é um processo de intervenção da arquitetura no artesanato, para valorizar e divulgar ainda mais essa arte. As pessoas tinham preconceito em utilizar o artesanato. Diziam que iriam colocar na casa de praia ou de campo, mas nunca na casa principal. Depois essas mesmas pessoas foram entendendo sobre a necessidade de se divulgar o artesanato e essa identidade local que vem junto com as peças.  Além disso, você incentiva esses artesãos a crescerem. Ganha o arquiteto que passa a ter mais opções e ganha o artesão que vendeu e foi incentivado. É a valorização do artesanato! Eu ficava triste porque os arquitetos não tinha esse olhar, são poucos os que utilizam. Ao fazer uso dessa arte nos projetos, ficamos enriquecidos culturalmente”, relata Carlos Augusto Lira.

Outro time de profissionais que não abre mão de inserir em seus projetos o artesanato é a dupla de arquitetas Adriana Porto e Luciana Neves. “Sempre que possível utilizamos o artesanato nos nossos projetos. A gente entende que o artesanato é uma obra de arte reconhecida como qualquer outra. Com o uso do artesanato, o ambiente fica aquecido, através das suas matérias-primas mais rudimentares e originais, além de trazer uma identidade ao local”, explica Adriana.

Foto: Lucas Oliveira
As peças do Centro de Artesanato sempre presentes na CasaCor PE. Em 2016, no Espaço Sebrae, desenvolvido por Adriana Porto e Luciana Neves ( Foto: Lucas Oliveira).

“Hoje na decoração e nos ambientes mais sofisticados, o artesanato já é mais inserido, principalmente por ser uma arte feita a mão e por carregar a raiz e a cultura daquele local. Valorizamos muito isso! Pernambuco tem uma particularidade, possui uma riqueza e variedade de artesanato muito grande. São artes que tem valor igual a todos os outros tipos”, defende Adriana.

 

Serviço:

Centro de Artesanato Arquiteto Wilson Campos

www.ceramicadocabo.com.br

Contato:

(81) 3521.2744
(81) 98115.1400
(81) 3521.2774
(81) 98526.4873 – Nena

Endereço:
Rodovia PE 60 km 5 . COHAB
Cabo de Santo Agostinho . PE

ADGR 0646 SS IM 15.12.19 0160 1152x494 - Orquidário ganha forma moderna

“A ideia principal foi fazer algo diferente que chamasse a atenção pela forma e que também tivesse uso. Não é apenas um espaço para cuidar de orquídeas, tem mobiliário, balcão, pia. É uma sala de estar fora da casa. A intenção era que fosse criado esse ambiente externo onde eles pudessem aproveita o jardim, receber familiares e brincarem com os netos”, conta Zezinho Santos. O projeto do escritório Santos & Santos foi desenvolvido para uma residência em Aldeia, na Região Metropolitana do Recife.

Projeto Zezinho e Turíbio. Fotos Gustavo Sóter
O orquidário ganhou uma forma moderna (Foto: Gustavo Sóter).

A estrutura moderna e que passa também a ideia de “casinha”, foge do convencional. ” Se eu tivesse que citar alguma fonte de inspiração, seria a escola da Escandinávia e  da Finlândia. Por lá existem construções como esta, mas com outro uso e não como orquidário”, revela Zezinho.

 

Projeto Zezinho e Turíbio. Fotos Gustavo Sóter
No piso, o porcelanato de madeira, foi a opção escolhida (Foto: Gustavo Sóter).

O ambiente que funciona também como abrigo para apreciação do jardim, possui o teto coberto de policarbonato. O uso da madeira mais atual se faz presente de uma forma inovadora. No piso, o porcelanato de madeira, foi a opção escolhida apenas por uma questão de manutenção, o que torna essa ação mais simples e prática.

Projeto Zezinho e Turíbio. Fotos Gustavo Sóter
As aberturas laterais favorecem a circulação do vento (Foto: Gustavo Sóter).

O orquidário arrojado possui aberturas laterais que favorecem a circulação do vento e também protege da chuva quem estiver no ambiente. Ao lado da área onde as plantas estão, existe uma bancada branca para o trabalho de jardinagem, que acomoda uma pia. Na lateral contrária, um pequeno utilitário para o armazenamento dos objetos e utensílios necessários para a prática da jardinagem.

Projeto Zezinho e Turíbio. Fotos Gustavo Sóter
As cadeiras coloridas conciliam com o ar mais sóbrio da madeira (Foto: Gustavo Sóter).

A iluminação é um traço forte e característico da dupla. ” Sempre fazemos questão de criar a iluminação. No projeto foi pensado uma forma mais indireta e suave. Utilizamos nos pendentes lâmpadas de led e na estrutura da madeira optamos por uma luz rebatida”, diz Zezinho.

Destaque também para as cadeiras coloridas do espaço. ” As cadeiras já existiam, fizemos uma intervenção. A cor vermelha e o amarelo deram um ar mais leve e moderno ao projeto, conciliando com o ar mais sóbrio da madeira utilizada em toda a construção”, explica Zezinho.

Serviço:

Santos & Santos
www.santosesantosarquitetura.com.br

Casario de Durval Pereira Óleo sobre tela 1971 - Exposição irá exibir um panorama da obra de Durval Pereira

A partir da próxima quarta-feira(18), o público paulistano poderá conhecer de perto um recorte da grande produção do artista Durval Pereira. A expo “SESI Durval Pereira – Impressões Brasileiras / 100 anos”, é realizada pelo Instituto Origami e patrocinada pelo SESI.

Casario, de Durval Pereira Óleo sobre tela, 1971
A expo “SESI Durval Pereira – Impressões Brasileiras / 100 anos” apresentará 220 telas do artista ( Foto: Casario, de Durval Pereira Óleo sobre tela, 1971).

Por lá quadros que destacam casarios de cidades coloniais e paisagens do Brasil, mostram o artista da época do Impressionismo que teve uma produção prolífica: pintava de três a quatro telas por dia. E agora, o público poderá conferir de perto algumas dessas obras.

Abstracao6, 1978, Durval Pereira
O artista paulistano foi um dos mais importantes impressionistas e paisagistas do país (Foto: Abstracão, 1978, Durval Pereira).

A expo que será realizada no Memorial da América Latina, tem curadoria do pesquisador e arquiteto Lut Cerqueira. A mostra reúne cerca de 220 trabalhos do artista, marcando diversas fases e temáticas de suas pinturas. Os visitantes poderão ainda conhecer um pouco mais de sua trajetória em tours virtuais, concebidos em realidade 3D, entre uma tela e outra.

Naturezamorta22, 1974, Durval Pereira
A mostra tem curadoria do pesquisador e arquiteto Lut Cerqueira (Foto: Natureza morta , 1974, Durval Pereira).

 

Sobre Durval Pereira:

Marinha3, 1970, Durval Pereira
Muitas de suas telas integram hoje acervos de instituições da Alemanha, Itália, Espanha, Suécia, África do Sul e de países da América Latina (Foto: Marinha, 1970, Durval Pereira).

O artista paulistano foi um dos mais importantes impressionistas e paisagistas do país. Em 1983, conquistou o primeiro prêmio da III Biennale Mondiale des Métiers D’Art, em Nice, na França e foi presença constante nos melhores Salões de Arte do mundo.

Boiada12, 1967, Durval Pereira
A partir da próxima quarta-feira(18), o público paulistano poderá conhecer de perto um recorte da extensa produção do artista (Foto: Boiada, 1967, Durval Pereira).

Muitas de suas telas integram hoje acervos de instituições da Alemanha, Itália, Espanha, Suécia, África do Sul e de países da América Latina. No Museu dos Independentes, na França, está ao lado dos mais consagrados nomes da História da Arte como Manet, Gauguin, Toulousse-Lautrec, Matisse, Van Gogh, Cézanne e Degas. No Brasil, participou de inúmeras exposições e sua obra integra importantes coleções de edifícios públicos brasileiros, como o Palácio da Alvorada e do Itamaraty, além de acervos particulares.

 

Serviço:

SESI Durval Pereira – Impressões Brasileiras / 100 anos
Local: Memorial da América Latina- Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda, São Paulo.
Período expositivo: de 18 de julho a 16 de setembro.
Visitação: de terça-feira a domingo, das 9h às 18h.
Outras informações em: www.durvalpereira.com

Galeria Amparo 60 recebe a nova exposiçaõ de Ramsés Marçal Chico Barros 3 1346x494 - Galeria Amparo 60 recebe a nova exposição de Ramsés Marçal

A dor e a solidão causadas por uma perda pessoal foram os combustíveis para a criação do mais novo trabalho do artista plástico pernambucano Ramsés Marçal. A exposição “ContraPeso” reúne fotografias, desenhos, esculturas, música e vídeos que retratam o vazio e o sofrimento vividos por ele em um período de sua vida logo após a morte do seu pai em 2015. A mostra poderá ser conferida, no Recife, a partir do próximo dia 29 de maio, na  Galeria Amparo 60, que inicia o projeto Veraneio, onde exibirá os trabalhos de artistas que não fazem parte do seu casting.

Galeria Amparo 60 recebe a nova exposiçaõ de Ramsés Marçal -Chico Barros
A exposição “ContraPeso” reúne fotografias, desenhos, esculturas, música e vídeos que retratam o vazio e o sofrimento vividos pelo artista (Foto: Chico Barros).

Ramsés Marçal estudou na Florence Academy na Itália e na Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Atua entre artes plásticas e o design. Como artista, participou de diversos grupos de pesquisa e, durante os quinze anos em que morou em São Paulo, manteve um ateliê coletivo de produção onde, junto com Miguel Sanches, criou o projeto ‘Fogo’, voltado para atuar conceitualmente na fronteira entre arte contemporânea e design.

Galeria Amparo 60 recebe a nova exposiçaõ de Ramsés Marçal -Chico Barros 2
A Galeria Amparo 60 recebe a nova exposição de Ramsés Marçal (Foto: Chico Barros).

Sobre a nova mostra, o artista explica, “Em 2017, morando um tempo no sertão de Pernambuco, na cidade de Floresta, onde desenvolvia um trabalho, comecei a formatar ContraPeso, em meio a solidão e a embriaguez de um ambiente árido e hostil. Foi quando me aprofundei nas leituras e entrelinhas sobre a vida e a dor. ‘ContraPeso’ começou então a se concretizar e a dialogar com as divergências entre Schopenhauer e Nietzsche acerca da dor e do niilismo”.

Ao todo são sete fotos grandes p&b em papel algodão, dois desenhos, uma escultura e quatro vídeos. Em um dos vídeos, feitos nas palafitas do bairro dos Coelhos, ele está dentro de uma pocilga sentado e vestido com uma máscara de papelão. Tem, sobre o peito, como uma espécie de colar, um coração bovino de um lado e uma pedra do outro. Uma das obras mais emblemáticas da exposição, a escultura ContraPeso, foi feita com suporte de madeira freijó, cabos de pesca misturados com couro na cor café, coração de couro e tecidos na cor café, costurados com linhas pretas de espessuras variadas.

Galeria Amparo 60 recebe a nova exposiçaõ de Ramsés Marçal -Chico Barros 3
Ao todo são sete fotos grandes p&b em papel algodão, dois desenhos, uma escultura e quatro vídeos. (Foto: Chico Barros).

A exposição contou com o incentivo da Dj LalaK, textos de Hilton Lacerda, vídeos de Marcelo Lacerda, fotografias de Chico Barros, trilha sonora original de Bernardo Vieira, divulgação de Lula Portela e produção de Camila Pereira e Germana Valadares.

 

Serviço:

ContraPeso – Ramsés Marçal.
Abertura 29 de maio de 2018, a partir das 18h.
Visitação de 30 de maio a 23 de junho.
Terça a sexta, das 10h às 19h.
Sábados das 11h às 17h.
Galeria Amparo 60 
Rua Artur Muniz, 82. Primeiro andar, salas 13/14.Boa Viagem, Recife – PE.
Telefone: (81) 3033.6060

 

 

Saiba Mais: